Cerveja Tropicalista é novidade da Mata Atlântica com frutas especiais da Serra do Mar

A Uvaia e a Grumixama vêm dos produtores familiares do Alto da Serra Paulista e emprestam seu aroma delicado à nova cerveja Tropicalista, lançada no último dia 2 de dezembro no Mercado de Pinheiros. Uma tripla parceria entre o Instituto AUÁ, fornecedor das frutas nativas, o chef Guga Rocha e a Cervejaria Micro X, que desenvolveram a receita do produto, possibilitou a criação da novidade.

Após a colheita, é preciso deixar a Uvaia descansar um dia para apurar o sabor, ensina Seu Diniz, produtor de Paraibuna (SP), que vende a Uvaia das mais de 980 árvores de seu sítio para o Instituto. Já o proprietário da Cervejaria Alexandre Xerxenevsky, revela que é na etapa da fermentação da bebida o momento ideal para incorporar as frutas na receita. “São usadas só após a fervura, em que a fruta é consumida pelos micro-organismos e transformada em álcool, possibilitando o gosto suave”.

A partir da premissa de que sem grandes ingredientes não se alcança uma boa receita, estão sendo utilizada as melhores técnicas para produção das cervejas caseiras, com uma nova proposta: elaborar uma receita para cada bioma brasileiro, a exemplo da cerveja de Açaí e Cupuaçu já lançada com foco na Amazônia. O Baru ou a Baunilha do Cerrado, assim como o Butiá dos Pampas devem inspirar futuros produtos.

“É motivo de orgulho ter uma cerveja brasileira do bioma Mata Atlântica. E principalmente com espécies como a Grumixama e a Uvaia que merecem se tornar mais conhecidas por todos devido às suas qualidades excepcionais”, expressa o chef Guga Rocha.

Entre os componentes para se fazer a bebida, estão o malte considerado a alma da cerveja, o lúpulo que é um conservante natural e as leveduras, responsáveis por produzir o álcool e aromas, assim como a água pura. Todos afetam na criação de uma cerveja artesanal diferenciada.

Segundo Alexandre, o resultado no estilo final da Tropicália só foi possível graças à parceria com o Instituto AUÁ, possibilitando o acesso aos pequenos produtores do bioma, pois o uso dessas espécies totalmente cultivadas de forma natural agrega sabor exclusivo ao produto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *