A Rota do Cambuci

 

rota_gastronomica

 

Mais do que um roteiro de festivais, a Rota Gastronômica do Cambuci é uma estratégia de conservação da Mata Atlântica unida à produção familiar em bases agroecológicas. Promove o cultivo e a comercialização do fruto de forma sustentável e, com isso, é também uma importante alternativa de desenvolvimento para os municípios envolvidos.

 

COMO FUNCIONA

O funcionamento é baseado na parceria entre o Instituto Auá e os municípios da Rota do Cambuci, que realizam o festival associado a uma série de atividades culturais, turísticas e de lazer, em cada uma das cidades. Além disso, a iniciativa reúne os produtores do fruto em torno de um Arranjo Produtivo Sustentável, que envolve processamento e comercialização dos produtos em Cambuci. Os mesmos parceiros participam ainda de um Roteiro Turístico trabalho de forma integrada.

 

PROPÓSITOS E PRINCÍPIOS

Promover o desenvolvimento sustentável nas regiões de origem do Cambuci, por meio de ações integradas de gastronomia, turismo, manejo e economia, educação e cultura, é o objetivo da Rota do Cambuci. Com isso, resgata e fomenta o cultivo do fruto seguindo princípios agroecológicos, de respeito à identidade local e valorização cultural.

 

HISTÓRICO

Um workshop, realizado em outubro de 2008, em Paraibuna, para a troca de experiências e potenciais caminhos para os municípios produtores de Cambuci, deu origem à criação da I Rota Gastronômica do Cambuci. A primeira edição do festival aconteceu em abril de 2009, na Vila de Paranapiacaba, com o apoio e a participação dos municípios de Rio Grande da Serra, Salesópolis, Paraibuna e Natividade da Serra. De lá para cá, o ideal de “promover as potencialidades do fruto por meio de um roteiro gastronômico, turístico e cultural” foi fortalecido, passando a incluir novos municípios parceiros a cada ano.

 

FRENTES DE ATUAÇÃO

A Rota do Cambuci desenvolve ações em três frentes de atuação: o Festival Gastronômico, que promove a cultura local e os produtos do Cambuci; o Arranjo Produtivo, que visa unir produção, processamento e comercialiazação do fruto, gerando renda aos produtores familiares; e o Roteiro Turístico, envolvendo a experiência de turismo associada à história e cultura do Cambuci, por meio de atrativos diferenciados em cada cidade.

 

A RESERVA DA BIOSFERA DO CINTURÃO VERDE DE SÃO PAULO

A Rota é coordenada pelo Instituto Auá e faz parte do Plano de Metas da Reserva da Biosfera do Cinturão Verde de São Paulo (RBCV). E por isso, orienta-se pelos objetivos dessa Reserva da Biosfera, criada em 1994 pela Unesco, visando a gestão integrada entre cidades e ecossistemas para o desenvolvimento sustentável. Os 78 municípios da RBCV cobrem uma área de 15 mil km2, dos quais 6 mil km2 ainda são florestas.

 

ONDE

Abrange toda a região da Serra do Mar Paulista, onde o fruto ocorre, e conta hoje com a participação dos seguintes municípios:

Mogi das Cruzes, Natividade da Serra, Santo André (Paranapiacaba), Rio Grande da Serra, São Paulo, Salesópolis, Paraibuna, São Lourenço da Serra, Ribeirão Pires e Bertioga.

 

rodape_rota